Self-Help State

É o ambiente, estúpido.

Um país com um Estado de Auto-Ajuda Social, gastando milhões em propagandas à Paulo Coelho para que o brasileiro pense positivo em meio à lama jamais irá permitir uma liberdade de expressão que possa ferir os sentimentos das pessoas. Artigos como esse e esse iriam produzir uma cólera mortal em ouvidos brasileiros cujo país os problemas de primeiro mundo convivem em amizade com os de terceiro e pautam a agenda política.

Se até deixar de fazer o bolo do casamento gay é razão de sanção do movimento gay, imagine a ignorância de um país que tem uma das piores educação do mundo, pouco demora para que os grupos que já correlacionam pregações de evangélicos com violências marginais como quem correlacionava jogos violentos, rpg e heavy metal ao crime, sigam os “avanços” do seu irmão de lá, pois já estão com os pés afundados no extremismo paranóico, dramalhões mexicanos e teorias de conspiração, lembre-se: a exegética deles pode arruinar uma vida em menos de cinco minutos, não importando se é pai, mãe, avô, avó, professor, médico, advogado, pastor ou padre que será levado junto com estupradores, traficantes, assassinos e ladrões, sem direito à visita de direitos humanos nem ativismo que se legalize a homofobia.

Cruel

Risível que a defensoria da legalização da maconha tenha por argumento que a mesma curaria doenças como o câncer, um meme que se verdadeiro tornaria cruel o uso da maconha para o fumo: não basta o viciado (coincidentemente nunca pesquisadores de medicina) negociar sementes e a planta com traficantes que sequestram e matam nas suas tiranias privadas, financiando a atividade criminosa, mas também queimam e evaporam a erva milagrosa que salvaria da dor uma multidão de doentes apenas para satisfazer um prazer pessoal.

Moderados

Que moderados islâmicos acordaram para protestar contra seus terroristas é maravilhoso, todavia, ainda é necessário perguntar: se o Estado Islâmico não mirassem nos Estados Árabes e apenas os Estados Ocidentais fossem seu alvo, eles protestariam? Apoiariam a empreitada militar americana?

O silêncio de mais de dez anos, junto com o barulho pacifista, responde a pergunta.

Maneiras

A barbárie da esquerda brasileira nos força a comentar o escatológico. Todas as regras de formalidade, bons costumes e maneiras sugerem que o homem ultrapassa a realidade animal, portanto é impossível citar a ditadura das lâminas que removem pêlos femininos sem comentar da ditadura dos banheiros, afinal, o número um e dois são tão naturais quanto o que é por natureza indesejado.