É também verdadeiro

É compreensível ao homem solitário cobrar Deus por não ter com ele tido a piedade que teve com Adão ao criar Eva. Contudo ao mesmo tempo em que não se prepara uma companheira para um bom homem, é também verdadeiro que não há preparado bom companheiro para uma mulher.

Quem percebe isso sofre por compaixão de ver mulheres e homens em relacionamentos abusivos e infantis.

Falar que bons maridos não encontram uma mulher, e boas esposas não encontram um homem não é o mesmo que orgulho farisaico, já que pela lei do evangelho essa boa mulher pode ter sido até mesmo uma meretriz recém-conversa.

É ruim portanto culpar a Deus pelos pecados dos homens, e no país infernal chamado Brasil, onde sadomasoquismo e hedonismo fazem tabelinha com as almas, é esperável que sejam todos cegos aos homens e mulheres frutíferos.

Pregar

A tentação não é apenas uma coisa ilhada na consciência do homem, mas também age na pressão social, pois é dito que os justos hão de passar fome. E pressão não apenas age na amoralidade do capitalismo, mas em alguns países age na imoralidade do estatismo, pois há um incentivo econômico maior em alguns lugares em danificar o próximo e a própria costura social ao ser melhor escolher ser carga em vez de motor. O Estado socialista fornece um paraíso para o egoísta e um inferno para o altruísta.

O homem um dia não confiará na virtude, e os homens que trabalham nessa questão não encontrarão um que lhe dê valor. E assim se tornarão indivíduos cada vez mais solitários no seu amor à Deus. E a pobreza acompanha o solitário, somente os cães fazem escolta para os mendigos.

Se Deus fosse obedecido, sim, você teria sua casa, sim, você teria seu carro e bens materiais, mas como condenar Deus quando o homem é o culpado pelo sua própria degola? Como culpar Deus por não ter convertido os olhos de uma bela jovem ou de um rico? Como condenar Deus pelo orgulho do homem de seguir seus próprios caminhos?

Culpemo-nos a nós mesmos, por não pregar o evangelho tanto quanto possa para que ao justo seja permitido alcançar as boas coisas que Deus criou.

Favor

Ao cristão que passa necessidade logo percebe que o perdão de Deus vale mais que todos os bens e frutos da terra. Sem os bens e frutos da terra os santos chegaram à Deus, mas tão e só somente porque tinham sido perdoados: Duro é aproximar-se do justo tribunal sem esse favor.

Modesta

Ser abençoado por Deus ainda é melhor que ser abençoado pelos homens, mesmo que a benção seja dez vezes mais modesta. De que vale ganhar o mundo e diante do juízo, perder a alma?

O pouco ganho com justiça é mais valioso que o muito com injustiça. Nós reconhecemos o roubo porque o dono de todas as coisas é Deus e tomar do próximo é desconfiar de sua habilidade de emprestar suas posses (é daí que nasce também a responsabilidade dos prósperos pela administração). Quem rouba o rouba de Deus, e não há melhor definição para marxista que assaltante economista.

O justo aparenta ser mais Deus que homem mesmo que sofra suas tentações, pois é imitador de Cristo. Portanto atrai tão somente a quem busca a luz e a verdade, e é rejeitado pelos homens de trevas a quem combate, pese-lhe que sejam a maioria. Quem ama a Deus amará o justo como sua imagem, e o justo o amará. Idem Velle, Idem Nolle.

Vácuo

Se conservadorismo, como pregam intelectuais de direita como Pondé, Avena e Roger Scruton, é uma vacuidade moral, e “sendo um termo usado para descrever a transformação gradual, e não abrupta, como defendem os revolucionários e ancaps.” (sic) só sobra concluir que gramscismo, ou a revolução lenta do Brasil, é a pura expressão do conservadorismo.