Imperial

É correto afirmar que o cristianismo não se assume como uma religião de conquista imperial como o Islam, sua ambição é globalizante – unir a humanidade, porém aceitando suas diferenças, ao reino espiritual e por razão disso supera territórios inteiros por focar-se na salvação da alma individual, que livre não se mobiliza por ambições sociais e sim por empreendedorismo celestial: formar novos discípulos. – e não nacionalizante.

Contudo observa-se que inesperadamente a Igreja se assenta ao território unificado por conquistadores, warlords romanos e gregos que, doando esses sangrentos territórios ao cristianismo por este não foi rejeitado. Islâmicos, que são pré-cristãos em sentido político, só podem olhar para esse tipo de comportamento com um ceticismo que não ajuda avançar a causa da paz.

Figura

Se o diabo tem o mundo inteiro à sua disposição, governos, potestades etc.. é objeto de pergunta como ele exerce esse poder, e há duas opções:

Diretamente através de possessão, e Indiretamente através da reunião de dois fatores: sugestão e pecado original. O primeiro como Deus nos possui para o bem, o diabo pode possuir para o mal. O segundo ele conta com todo o poder da tentação que o homem, sem o espírito para resistí-lo, irá naturalmente serví-lo quando busca sua satisfação pecaminosa.

Nisso configura a busca diabólica pela mentira da negação da alma, se o homem está abandonado à sua figura mais baixa vencida pelo adversário, que obteve sua maior conquista pós-queda, só se pode naturalmente servir um senhor.

Eu, a Sabedoria

Eu, a sabedoria, habito com a prudência, e acho o conhecimento dos conselhos.
O temor do Senhor é odiar o mal; a soberba e a arrogância, o mau caminho e a boca perversa, eu odeio.
Meu é o conselho e a verdadeira sabedoria; eu sou o entendimento; minha é a fortaleza.
Por mim reinam os reis e os príncipes decretam justiça.
Por mim governam príncipes e nobres; sim, todos os juízes da terra.
Eu amo aos que me amam, e os que cedo me buscarem, me acharão.
Riquezas e honra estão comigo; assim como os bens duráveis e a justiça.
Melhor é o meu fruto do que o ouro, do que o ouro refinado, e os meus ganhos mais do que a prata escolhida.
Faço andar pelo caminho da justiça, no meio das veredas do juízo.
Para que faça herdar bens permanentes aos que me amam, e eu encha os seus tesouros.
O Senhor me possuiu no princípio de seus caminhos, desde então, e antes de suas obras.
Desde a eternidade fui ungida, desde o princípio, antes do começo da terra.
Quando ainda não havia abismos, fui gerada, quando ainda não havia fontes carregadas de águas.
Antes que os montes se houvessem assentado, antes dos outeiros, eu fui gerada.
Ainda ele não tinha feito a terra, nem os campos, nem o princípio do pó do mundo.
Quando ele preparava os céus, aí estava eu, quando traçava o horizonte sobre a face do abismo;
Quando firmava as nuvens acima, quando fortificava as fontes do abismo,
Quando fixava ao mar o seu termo, para que as águas não traspassassem o seu mando, quando compunha os fundamentos da terra.
Então eu estava com ele, e era seu arquiteto; era cada dia as suas delícias, alegrando-me perante ele em todo o tempo;
Regozijando-me no seu mundo habitável e enchendo-me de prazer com os filhos dos homens.
Agora, pois, filhos, ouvi-me, porque bem-aventurados serão os que guardarem os meus caminhos.
Ouvi a instrução, e sede sábios, não a rejeiteis.
Bem-aventurado o homem que me dá ouvidos, velando às minhas portas cada dia, esperando às ombreiras da minha entrada.
Porque o que me achar, achará a vida, e alcançará o favor do Senhor.
Mas o que pecar contra mim violentará a sua própria alma; todos os que me odeiam amam a morte.

Provérbios 8:12-36

Matar a alma

É do Ocidente a ideologia mais homicida da história. Foram consequências de idéias materialistas que levaram a humanidade ao deserto para tentá-la e ela, entediada, deixou-se levar. É contra-intuitivo imaginar que o pior barbarismo de culturas inferiores foi menos homicida, e fomos homicidas com tanta sofisticação.

Mas a chave de compreender isso é porque as culturas inferiores não desejam matar a alma – e de fato nem tentaram – enquanto que as ideologias modernas carregam o evangelho do diabo como sua nobre missão apostólica: levar o mundo ao inferno.

Degeneração

Nas penas dos pais fundadores a utopia que veio a se chamar Estados Unidos estava sendo construída. São esses homens de visão futurista, que foram dadas a missão de construir um país do chão, a atual oposição à esquerda não só americana mas no mundo.

O populismo americano também tem aí sua fundação: no senso comum, na superação de tradições européias e truísmos acessíveis a todo ser humano. Sem essa inversão do modelo europeu onde uma nação se sustenta na nobreza e virtudes de seu povo e não na nobreza e virtudes de uma elite burocrata não poderíamos de nenhuma forma importar valores do ideário conservador para o eleitorado brasileiro.

Também foram as nações conservadoras que embarcaram em um projeto moralista nunca antes tentado: a abolição da escravidão. Sem esse ímpeto típico de revolucionários pela justiça talvez o mundo continuaria seguindo suas tradições bárbaras e anti-cristãs.

Cabe aos conservadores entenderem que o mundo vez ou outra exige certas posturas mais comuns aos seus rivais políticos. Que eles não estão errados de terem essas atitudes políticas mas sim de terem como objetivo afastarem-se da virtude e do bem. Quando se elimina a função redentora das Escrituras, Deus como acesso à virtude, sobra construir uma civilização fundamentada no pecado original fadada à degeneração. Temos de elogiar que para quem possui uma visão não judaica de mundo, até encontraram maestria e uma tradição.

E cabe a esquerda entender que mesmo resgatando a aristocracia estatal, se o povo fosse mau seriam apenas como anjos comandando as portas do inferno.

Roupas

Imagine a hipótese de um homem rico estacionar um carro caríssimo o deixando de portas abertas e chave na ignição para uma visita rápida a um amigo. Momentos depois, quando retorna o carro não está mais lá – foi furtado.

Ele fez tudo o que estava em seu  direito, mas o que você pensaria desse homem?

E se ele fosse mulher e em vez do carro, fosse seu corpo?

O primeiro e mais ultrajante conselho cristão é dizer que as roupas podem importar nesse assunto. Desde que Adão e Eva se viram nus no paraíso as roupas tem importado tanto para homens como para mulheres. Existe uma razão pelo qual não andamos nus além de proteção ao ambiente natural. Isso é melhor explicado por um padre que qualquer estilista.

Todo direito deve ser protegido, não há direito que sobreviva sem prudência e cautela. Temos o direito à vida, mas evitamos certos lugares onde há muitos crimes de homicídio. Temos o direito à uma casa que compramos, mas nossas chaves – não educar da existência desse direito – impedem este direito ser violado. Em todo momento procuramos fazer o possível para evitar sermos alvos de um crime pois sabemos que criminosos não são nobres selvagens. Todos nós reconhecemos que não somos Paul Kerkey que se faz de isca para matar criminosos, o problema ocorre quando se aconselha sobre um único caso: o crime de estupro; aí toda tentativa de impor juízo vira ultraje e culpabilização da vítima.

É inegável que historicamente, povos de culturas não cristãs tenham elegido a mulher como inferior ao homem, dê-se a isso o nome de machismo ou não. Da oração judaica do “obrigado Deus por não ter me feito mulher” à venda de escravas sexuais cristãs feitas pelo ISIS a mulher é de alguma forma alvo preferencial em outras culturas. Honor killings e epidemias de estupro na Europa são crimes em que as vítimas se não todas, a maioria, são mulheres. Em caso de guerra, mulheres são vistas como prêmios do espólio ou então o próprio estupro é usado como arma para causar genocídio. Homens historicamente são raramente discriminados.

Entretanto, encontrar cristãs que reclamam de cultura do estupro é impossível, pois ser cercada de bons homens ajuda a evitar a influência do feminismo. Fora da órbita de influência do cristianismo as mulheres encontrarão situações em que serão tratadas como inferiores com mais facilidade. Isso ocorre porque no cristianismo tratar outro ser humano como inferior é pecado e não se divide a maldade humana por sexo. O próprio casamento cristão é muito mais benéfico à mulher que ao homem, que deve sacrificar-se por ela como Cristo sacrificou-se pela sua Noiva.

Se homens fossem mais cristãos e tivessem mais pais de família como exemplos do que Dan Bilzerians, o feminismo seria extinto. Assim como a lógica do casamento homossexual provém dos relacionamentos heterossexuais, o feminismo tem sido um reflexo da falta de virtude nos homens.

O cristianismo nutriu séculos de uma cultura que prioriza mulheres, criou instituições que as protegem, só podemos concluir que o cristianismo foi contra a cultura do estupro antes de feministas nascerem para combater essas mesmas estruturas de proteção.