Atraso

Do meio de inovações constantes e riquezas a alma do comunista grita sob a grande dor e prisão de viver num mundo totalitário de abundância: “cria-se necessidades que não temos”. Soa engraçado que o conservadorismo daqueles parece querer conservar lamparinas e fogões a lenha pois se formos ver, que necessidade temos de conforto elétrico se nossos antepassados nunca tiveram?

Mas digamos que estão certos, ora, aquilo que o capitalismo provê até em excesso enquanto ideologias ultrapassadas com muito sacrifício provê o necessário a burocratas é uma virtude, afinal só no capitalismo há espaço para algo chamado lazer e ó, identidade, na qual as escolhas pessoais de indivíduos sobre produtos que adotam revelam sua sofisticação. Aos adoradores da coletividade é ridículo mesmo alguém andar de lamborguini se todos podemos dirigir um fusca.