Desgosto

Dawkins é um desastre até quando poderia possuir um bom ponto, seu artigo no The Guardian revela que o mesmo não vai debater com o Craig por este ser um defensor do genocídio e infanticídio. E o sino da hipocrisia toca de novo:

Em uma entrevista ele sequer conseguiu dar uma boa razão para que julguemos o genocídio nazista de milhares de judeus como absolutamente imoral ao ser questionado “como a ausência de normas externas poderia nos prevenir de dizer que os terroristas islâmicos não estavam certos?” respondendo que “o que nos previne de dizer que Hitler não estava certo? Digo, essa é uma pergunta genuinamente difícil. Mas seja o que defina a moralidade não é a Bíblia. Se fosse nós estaríamos apedrejando pessoas por não guardar o sábado.”

Dawkins também adota a visão de Peter Singer sobre o infanticídio, quando entrevistado diz: “Nesses casos [um bebê de um ano de idade com uma doença incurável], estritamente moralmente não tenho nada contra infanticídio, eu seria a favor do infanticídio”.

Não vou defender o Craig, ele é grandinho e pode se virar, mas dizer que se Dawkins possui desgosto com ele, porque Craig não possuiria o mesmo desgosto com Dawkins? Porque Dawkins não possui desgosto por si mesmo? Como bem notou o blog Proginosko, não é que a visão de Craig seja anti-ética, imoral, doentia e até maligna, mas Dawkins está apenas desgostoso com elas.