Associados

Você é Stalin! Você é Hitler” é o modus operandi de todos os debates da internet, os acontecimentos de 1930 são recentes demais para serem abandonados, e a ingenuidade da população do século XX é sempre demonstrada e redemonstrada, como se hoje não houvesse ingenuidade pior em relação aos governos e ideologias.

Problema é que o abuso não tolhe o uso, a falácia de associação não é sempre uma falácia, imagine você no fórum nazista stormfront com medo de acusar alguém de apoiador do genocídio pois estará cometendo uma falácia. Encontrar Hitler tomando café na rua sem poder usar o “ad hitlerum“, defrontar com nazistas que dizem que você não pode acusar o nazismo de ser deturpado só porque alguns nazistas eram deturpados e praticaram genocídio.

Idéias tem consequências se seguidas ortodoxamente, não é a toa que o nosso Estado Laico tem o seu próprio index librorum prohibitorum particular, banindo o mein kampf e outras obras nazistas. E como usar? Provando simplesmente que as idéias foram seguidas a risca ou que nas idéias não há checks and balances morais que possam demonstrar a malignidade dos atos praticados por seus expoentes. Por exemplo, os cristãos podem facilmente, usando da autoridade moral divina revelada, acusar outros de não estarem seguindo os ditados divinos corretamente, enquanto um ateu, ao se deparar com Stalin, pode de todo coração desejar dizer que o praticado é maligno, mas a crítica máxima chegará apenas ao econômico “contraproducente” ou esteticamente “feio“, a matéria não impingirá uma moralidade superior a esses termos.

Não é coincidência que ateus se comportam como cristãos, acusando os próprios cristãos de não seguirem seu Mestre, afinal dos cristãos eles emprestam sua moralidade talvez com fins estratégicos de destruir o próprio cristianismo. Quando agnósticos como Buffet ou Gates são aclamados por sua caridade sem Deus, não se pergunta porque na visão ateísta, caridade seria algo bom, sem apelar a dizer que a caridade, contraditoriamente, é boa porque satisfaria o nosso egoísmo.

Quando Stalin leva o comunismo aos confins do mundo com guerras, ele está carregando o ateísmo na bagagem. Quando se tem ateísmo levado aos extremos Nietzschianos, e no poder, a imposição da visão materialista e negação do dualismo humano é mera estratégia prorrogada atualmente. Quando um cristão leva o cristianismo ao extremo, você terá um diligente Paulo de Tarso carregando o evangelho nas costas sofrendo diversos emprisionamentos e mortificações, enquanto outros que levaram o evangelho na espada e nas conquistas terá de defrontar com cristãos que, notando o exemplo de um em contraste com o outro, serão colocados em seu devido lugar no inferno. Problema ao final, não é que não haverá erros monstruosos, não há grupos de santos no mundo enquanto houver o pecado, mas que os erros de um podem ser objetivamente confrontados enquanto os erros de outro são apenas um pequeno tormento de moscas em que não afetará o universo em nada.