Penitenciária

Sua visão de mundo é impossível ou contraditória, veja você, que reflete a lei de Deus, perfeita e imutável, segundo você, às leis naturais do mundo que são corruptas, o homem não nasce mau como você diz? –  Dita o agnóstico.

Sim, mas como Israel praticava os dez mandamentos, não é de forma alguma impossível a prática das leis divinas, não há código secular que não seja uma cópia, se me permite, ruim, da Lei Eterna, que por ser eterna se deduz que existia antes mesmo dos dez mandamentos, o que há é que os homens por sua natureza maligna irão quebrá-las constantemente, o crime nunca vai se extinguir da humanidade como não se extinguiu no reino de Israel, pois a natureza humana sem o complemento divino é imperfeita, então, eu questiono se não é o medo da punição que move a crítica, já que as leis divinas entendem a punição eterna portanto toda punição terrena, embora compreensível, frustra a justiça por sua finitude, e não a verdade de que os atos ali condenados são criminosos, afinal, a lei sem teor moral é imoral, constituindo letra morta. E te digo quanto as punições, que Cristo extinguiu a vingança, por isso as penitenciárias cristãs são as mesmas que geraram as penitenciárias criminais, onde o monge refletia sobre seu pecado é onde o criminoso expurga sua pena, o santo e o criminoso participa da mesma cela, forçados à buscarem arrependimento de seus pecados enquanto o ente civil resguarda a sociedade de sua influência e eficácia pecaminosa, o criminoso então fica na privacidade de sua consciência aguardando o momento de ser reinserido na cristandade, obter o perdão e assim salvar-se da vingança divina resguardada para o juízo. – Comenta o cristão.