Patrão

Aos poucos aquilo que é tomado por impessoal adquire personalidade, São Anselmo definia Deus como o maior ser concebível possível, quando o Estado passa aos poucos a ser o Único Patrão de uma sociedade por onde se centraliza a riqueza (quanto mais distante do governo, mais pobre), o rico benevolente atendente dos clamores democráticos dos seus empregados, atendente dos pedidos progressistas da nova moral secular, tomando as características somente possível a uma pessoa ideal e perfeita, a um “Deus” ateísta, a idolatria começa a ficar evidente até aos olhos dos simples.