Ódio

É interessante notar que enquanto os crimes estão se tornando cada vez mais subjetivos, podendo a pessoa ser punida por possuir certos medos (Deus não permita que baratas criem um movimento anti-baratofobia, colocariam todas as mulheres na cadeia), há certos ódios que são socialmente aceitos e outros não, a exemplo: o parafílico não pode dizer que possui parafílicofobia-fobia, que o homossexual tem medo de homofóbicos, e que seu ódio ao homofóbico é melhor que o ódio do homofóbico sobre ele, que é melhor criminalizar o homofóbico que o homossexual, que o ódio ao homofóbico é legal, mas o ódio do homofóbico é crime, que a discriminação ao homossexual é errado, mas a discriminação ao homofóbico não, que o dono do bar pode ir para a cadeia, mas não o cabeleireiro, que o punk pode apanhar, mas não o emo.

Por mais que declarem objetivamente que o ódio é sempre maligno, não deixam de cometê-lo seletivamente legalizando o ódio político pessoal e criminalizando o ódio adversário, e seu fundamento objetivo superficial não passa de artifício político de um grupo para subjugar outro idêntico, tal como comunistas subjugaram nazistas, que moralidade usam se não a moralidade de Satanás, buscando expulsar demônios em nome do príncipe dos demônios?