Analogia

Implícita durante séculos é a semelhança do protestantismo com o judaísmo, sendo o cristianismo, falso e ininteligível sem a veracidade da religião semita, segue-se a analogia de que o protestante e o judeu encontra idêntica reverência às Escrituras, de onde se tira a totalidade de sua teologia. Talvez seja lá uma tradição perdida, por desapontamento da esperante conversão dos judeus ao lumiar da reforma, ou por entendimento de uma graça salvífica e uma letra mortal referente ao mesmo livro, o que pensar em anti-semitismo terá teto de vidro, mas assim como o judeu decorava a Torah (a tradição oral é brilhantemente lembrada em filme do evangélico Denzel Washington), ao protestante também poderia ser requerido similar tarefa, e assim o protestantismo é muito mais judeu do que a simples simpatia que apresenta.