Bipolaridade

Toma-se nota faltando um dia para as eleições, da bipolaridade americana, é de se entender que quando o partido mais alinhado à direita assume o poder, até mesmo a ONU pende para o exercício da justiça, enquanto um presidente alinhado à esquerda faz os esquerdistas amarem o imperialismo global. Não é indiferente que a ONU promova casamento homossexual em território estranho como o Brasil, ao menos a rule britannica praticava a negligência benigna. Por isso, ao conservador anti-americano, espanta o conservador tanto criticar o democratismo, laicismo e progressivismo quanto elogiar o republicanismo, jusnaturalismo e conservadorismo, e nos direitos humanos e promoção da paz a ONU, elogiando quando esses entendidos sob a lei natural e criticando quando não passa de renascentismo.

É sim perigoso um país de tamanha influência internacional sofra dessa bipolaridade, talvez denote alguma fraqueza do sistema de alternância sob o Rei de Papel, que o mundo enxergue o peso de cada voto não como sendo pessoal, mas sendo um voto coletivo é consequência, a responsabilidade nessa terça não é só de escolher um presidente americano, mas alguém que torne a vida mais difícil em muitos lugares do globo, é de se pensar que é esse o motivo de certo assédio global que passa o americano.