Federal

É possível notar a virtude do federalismo de longe, se certos direitos clamam a universalidade, então é necessário um governo que para tornar eficaz esses direitos tenha tal poder de violência que reaja a qualquer força mundial que se coloque contra eles, nisto está montado o trono demoníaco universal. Contudo, a relativização de direitos naturais pelo direito da soberania local nos coloca na seguinte situação: um governo que não reconhece a vida merece existir?

Ao fundo o libertário-conservador, ou paleocon, não pode negar o seu mal-caratismo de esquerda usando aquele mesmo argumento cretino relativista que defende o governo indígena praticante de infanticídio. Quem crendo estar acima da moralidade do homem comum, e defende tal postura laissez-faire quanto à moralidade, defende a tirania particular: eis a tirania de poucos, há Stalins de sobra para ocupar estes postos.