Kingchild

Parece claro nesta data que todo o mundo ocidental conhece a narrativa evangélica, culpa do sucesso apostólico. A pergunta que fica é: como sabendo da excelente boa nova, do prêmio da salvação pela fidúcia, não fazem como os reis do passado e se prostam diante da criança-rei? O trabalho missionário no ocidente se dá no desembaraço das mentes confusas pela propaganda anti-cristã, teia de propaganda que caem até cristãos intelectualmente fragilizados diante das autoridades mundanas, e da vitimização positivada do pecador que é uma estratégia moderna do diabo, que faz-se de vítima do monarca absolutista dos céus.

Só derrubando o sistema de pensar imerso no pecado que se pode clarear uma firme decisão do homem, entre o bem e o mal, por isso a apologética se torna a ponta de lança na conversão dos modernos, levando cativo todo pensamento e não somente a anunciação, do nascimento do Salvador da humanidade.  Que esse Natal seja, aos que tem pensamento e coração afinados no alvo que é a glória do menino-rei, uma alegria maior que a pode dar o mundo.