Legalismo

Não é curioso que o cristão de esquerda seja anti-institucional e anti-legalista quanto à religião, mas extremamente propenso ao legalismo e institucionalismo secular? Vê horror na admoestação ao pecado sexual no púlpito, mas admite prazer em prender o homofóbico. Ao conservador denuncia ser teocrata e cheio de ódio, enquanto que este ímpio acredita que o comunismo será completado pela espiritualidade cristã e o reino de Deus estabelecido sobre o sangue dos ricos.

Seus textos se enchem de estímulo à inveja materialista anti-paulina, longe do conformismo ensinado pelo apóstolo. É bem claro que o Estado fabrica dinheiro, isso não se nega, mas o cristão de esquerda espera também que este multiplique os peixes. Para ele, a elite política se transforma na mão de Deus sobre a Terra distribuindo riqueza que pelo uso da força concentrou em si, enquanto critica qualquer pastor da TV que recebe o dízimo e doação livremente, incapaz de perceber que seu evangelho é ainda mais distorcido que o outro.

A fé no homem, fé que este pode curar o próprio pecado pela via política, toma prioridade sobre aquele que preferiu o perfume caro à si mesmo do que salvar os pobres. Ao fim, este anti-capitalista reclama da ganância do pecado original enquanto coloca os gananciosos em todo trono armado que encontra no mundo. Ganância para ele é guardar dinheiro, mas não tomar o dinheiro alheio e distribuir como se seu fosse, declarando à mão direita e esquerda em propaganda nacional todo feito redentor. O amor cristão ao pobre, que para ele é nada mais que um inútil afim de ser carregado pelo restante da sociedade, é um programa de auditório. Ele nunca desconfia de um governo que cria legislações absurdas que oprimem o empregador e cria qualificações obrigatórias, quando culpa o capitalismo pelo desemprego.

Ao menos, o capitalista coloca o ganancioso de joelhos à servir a sociedade, sendo essa uma peça que levou séculos para ser pregada no diabo. A estes não se pode chamá-los de ingênuos, e sim de contaminados pelo anti-Cristo, o título de missionários do mundo enviados à igreja lhes cabe perfeitamente.