Social

O mal das igrejas que pretendem-se agentes sociais é seu conceito de social ser reverencialmente esquerdista, por isso ficam instrumentalizadas pelo socialismo latino e seus fetiches. Não é que ativismo seja ruim, falta ativismo na igreja brasileira, mas a preocupação de social conservatives com os valores cristãos, como a preocupação com o casamento homossexual, a defesa da filosofia pró-vida, do direito à legítima defesa, contra a ladroagem tributária do governo, é mal vista por cristãos que já deixaram-se vencer pelos valores progressistas.

É só observar que suas declarações buscam aplausos do predomínio ideológico, querem enfim seguir a onda da maioria e pegar as 30 moedas que caem no chão, enquanto que as declarações políticas desses pastores fundamentalistas chegam aqui em forma de notícia escandalosa causando revolta. Irão um dia perceber que como tempero, já não se diferenciam do sabor do alimento?