Entrave

O fenômeno da ascensão social é comum em países com maior liberdade econômica, isso é exemplificado quando se investiga o passado de diversos famosos milionários, mas países como o Brasil a raridade de um pobre ascender à outra classe social devido aos entraves criados pelo governo os joga na dependência econômica com o Estado, que os recebe para serem usados como chantagem emocional nas campanhas eleitorais de esquerda e para efetivar suas políticas sociais altamente rentáveis tributariamente. O pobre, vendo que uma das estradas está fechada, que as coisas que ele pretende consumir estão cheias de taxas inalcançáveis a ele, que as coisas que ele deseja só os ricos podem efetivamente dar ao Estado a sua gananciosa parte nunca contestada sob o discurso salvífico junto com a baixa margem de lucro do produtor, só pode correr a quem devolve metade do dinheiro que lhe é tomado quando este consome ou ao crime. Assim a imagem de salvadora dos pobres desses maravilhosos cretinos fica preservada e institucionalizada legalmente, mantendo os pobres na escravidão, dando-lhes bolsa-senzalas.

O fato que existem aqueles cujo talento vence a opressão econômica, como no famoso caso de Jeca Espetinho dentre outros, mostra que mesmo sob intensa proibição à arte produtiva, o capitalismo ainda consegue romper os agrouros e transformar a vida dos necessitados libertando-os, o problema é que como esquerdista pensa em tudo, os louros serão roubados como se fossem glórias de seu sistema depravado.