Coerência

O nobre dever de proteção da identidade cristã de um povo contra conceitos arbitrários como casamento gay serve para a melhor compreensão dos direitos naturais e dos limites da soberania humana, não se pode defender a propriedade privada sem a coerência de se defender o matrimônio sagrado, afinal sem um Criador não há direitos, e sem essa compreensão tudo acaba sendo permitido pois se torna apenas uma luta política arbitrária e morimbunda de satisfazer desejos pessoais, por isso a vantagem do marketing político homossexual em usar a satisfação sexual como mote de suprema felicidade. Um bom político estaria atento ao dever de proteger a sociedade diante de desejos egoístas, com a grande obrigação de dizer não em sacrifício de sua popularidade.

Isso foi a evolução conceitual de nação que formou o Estado americano, que não é uma nação fundada no conceito europeu de povo e território como a nação brasileira, mas formado principalmente da unidade da crença, esta com identidade medieval e calvinista, que pode ser partilhada e promovida além de suas bordas e limites por cristãos de todo o mundo. Quando se mistura anti-religiosos e religiosos sob o laicismo, se cria o conflito civil de partidos cujas cosmovisões se emaralharam e confundem o juízo legislativo, o que não existe em governos confessionais.