Agrega

O Brasil comemora a promessa de pluralidade amistosa como sua maior virtude, mas antes é seu maior crime: a dissolução de identidades verdadeiramente nacionais queima todas as tradições históricas e familiares das pessoas quando essas vítimas descem náufragos da civilização para esse lugar abismal, aqui japonês não sabe matemática, italiano dirige bem e alemão não respeita a lei, quando aqui chegamos ganhamos apenas um número de CPF e RG,  pois nem mesmo estamos avançados o suficiente para receber o selo da besta e aprendemos uma língua morta, sendo obrigados a andar por um deserto sem direção.

O Brasil não agrega nações com seu ecumenismo relativista, antes as dissolve e destrói pintando-as de verde e amarelo banana.